(Segunda-feira, 3 de Março de 2014) Com a chegada do Dia Internacional da Mulher, Médicos do Mundo – Médecins du Monde (Mdm) lança uma campanha de mobilização internacional em defesa do acesso universal à contracepção e ao aborto seguro e legalizado.  

Tendo em vista a reunião das nações do mundo na ONU em Setembro, no âmbito do Cairo +20 para debater sobre os direitos sexuais e reprodutivos, Médicos do Mundo – Médecins du Monde (MdM) convoca a comunidade internacional a renovar o seu compromisso em defesa da saúde e do direito das mulheres.

Composta por nomes femininos, a identidade visual da campanha convoca a comunidade internacional a se mobilizar até Setembro de 2014 no site names-not-numbers.org. Uma operação de sensibilização também será organizada em Paris em 08 de Março, Dia Internacional da Mulher.

Num contexto de questionamento dos direitos das mulheres no seio da própria União Europeia, Médicos do Mundo – Médecins du Monde (MdM) denuncia o incumprimento das promessas feitas pelas nações. Em 1994, aquando da Convenção Internacional sobre População e Desenvolvimento, 179 países firmaram um programa de acção que garantia a todas as mulheres o acesso aos serviços de planeamento familiar e aos cuidados pós-aborto, independente da legislação sobre o aborto vigente nos seus países.

Vinte anos depois, mais de uma em cada quatro mulheres que deseja evitar uma gravidez nos países em desenvolvimento continua sem acesso a um método contraceptivo moderno. Por outro lado, a proporção dos abortos clandestinos alcançou níveis preocupantes: metade dos abortos no mundo são praticados em más condições. A prática de aborto clandestino mata 50.000 mulheres por ano e causa invalidez temporária ou definitiva em 8 milhões delas.   

Em vista da convenção internacional do Cairo +20, Médicos do Mundo – Médecins du Monde (MdM) apela à mobilização internacional pelo direito das mulheres de dispor do seu próprio corpo e de decidir livremente ter ou não filhos. Pela primeira vez, a rede internacional de Médicos do Mundo – Médecins du Monde (MdM) levará esta mensagem ao público da Alemanha, Argentina, Inglaterra, Bélgica, Canadá, Japão, Suíça, Portugal e Países Baixos.